Sa√ļde do Trabalhador: Recomenda√ß√Ķes para quem trabalha em p√©

shutterstock 367224593

  No ano passado, um artigo brit√Ęnico chamou a aten√ß√£o de trabalhadores do mundo todo. A publica√ß√£o sugere  que,  ao inv√©s de ficar sentado durante toda a jornada de trabalho, o profissional deveria ficar pelo menos duas horas da rotina em p√©. Segundo o artigo, esse h√°bito torna a pessoa mais saud√°vel. Na verdade, ainda n√£o h√° comprova√ß√£o cient√≠fica sobre essa afirma√ß√£o, mas j√° se sabe que trabalhar em p√© n√£o √© uma novidade para professores, policiais, recepcionistas e vendedores, por exemplo. Independente da profiss√£o, o blog da Sa√ļde vai mostrar o que pode acontecer com as pessoas que mant√©m essa conduta.

  Primeiramente, qualquer pessoa que trabalha muito tempo em p√© pode acabar centralizando muito sangue nas pernas, al√©m de sobrecarregar as articula√ß√Ķes como o quadril e o joelho. Com isso, outros √≥rg√£os acabam tendo que compensar esse esfor√ßo. A panturrilha, por exemplo, quando contrai, empurra sangue para cima.  ‚ÄúSe ela fica muito tempo parado, o cora√ß√£o vai ter que fazer mais esfor√ßo para fazer a circula√ß√£o. Uma pessoa que trabalha atr√°s de um balc√£o vai se sentir cansada mais r√°pido do que um professor que movimenta todo o corpo mais vezes‚ÄĚ, detalha o  ortopedista e especialista em Sa√ļde do Trabalhador,  Gabriel Pimenta, diretor do Hospital Federal do Andara√≠ (RJ).

  Rayana Santos, 28 anos, al√©m de atuar como gerente de vendas em uma concession√°ria de autom√≥veis, trabalha como recepcionista para complementar a renda. Quando tem evento, fica em m√©dia de seis a oito horas em p√©. E, muitas vezes, a jornada n√£o acaba por a√≠. Rayana revelou que frequentemente faz dois eventos por dia com apenas uma hora de intervalo.  ‚ÄúAt√© no intervalo eu n√£o consigo ficar sentada o tempo todo. Depois de um dia puxado, dor no p√© e nas costas √© s√≥ o que tem. Gra√ßas a Deus n√£o tenho nenhum problema na coluna, mas n√£o tem jeito. O p√© incha de ficar tanto tempo assim. Uma problema que percebi √© que comecei a ter varizes. Estouraram v√°rias na minha perna‚ÄĚ, conta Rayana. De acordo com o ortopedista Gabriel Pimenta, o aparecimento de varizes pode estar associado √† rotina de trabalho da recepcionista.

  Outro exemplo, citado pelo ortopedista, √© de um mec√Ęnico que trabalha em p√© com um carro elevado por macacos hidr√°ulicos. A sobrecarga √© grande nas pernas e no tronco, j√° que os bra√ßos ficam suspensos durante toda a atividade. Al√©m disso, os batimentos card√≠acos ficam alterados, a musculatura entra em sofrimento e, como consequ√™ncia, vai sentir fraqueza.  ‚ÄúTodas as situa√ß√Ķes voc√™ precisa avaliar com detalhe para tentar aliviar o cansa√ßo, mas al√©m dessas quest√Ķes f√≠sicas, a fadiga tamb√©m vai atrapalhar a aten√ß√£o que voc√™ d√° ao que voc√™ tem que fazer. Esse √© o momento ideal para um acidente de trabalho e √© assim que eles acontecem. Com muita frequ√™ncia, no final da rotina, justamente quando o corpo n√£o aguenta mais‚ÄĚ, explica o especialista .

Cuidados

  Quem conhece a pr√≥pria jornada precisa estar preparado para o que lhe espera. ‚ÄúImagina aquele soldado que fica o tempo todo na guarita. Ele faz um trabalho muscular da panturrilha para poder acionar o sangue‚ÄĚ, alerta o ortopedista Gabriel. Veja agora as recomenda√ß√Ķes do especialista para evitar problemas com o excesso de sobrecarga no corpo:

1. Fa√ßa atividade f√≠sica pois o exerc√≠cio √© fundamental para fortalecer a musculatura e preparar voc√™ para qualquer atividade do dia, inclusive para o trabalho. Os alongamentos s√£o importantes, mas eles funcionam como um aquecimento. A muscula√ß√£o e a corrida, nesses casos, v√£o trabalhar diretamente nas regi√Ķes que precisam estar fortes para manter o equil√≠brio e a rotina.  Ajudam a mente, previnem e contribuem para o tratamento de doen√ßas, como a obesidade, a diabetes e a hipertens√£o.

2. Se movimentar frequente durante a rotina de trabalho contribui para melhorar o funcionamento do corpo e evitar a fadiga. N√£o se esque√ßa de mexer o calcanhar. √Č importante lembrar que o corpo foi feito para se mexer.

3. Use roupas leves. Se voc√™ coloca uma roupa pesada, voc√™ adiciona mais peso no seu corpo. A roupa certa e um cal√ßado confort√°vel far√£o diferen√ßa. Um sapato apertado n√£o ajudar√° na circula√ß√£o.

4. O uso de uma cadeira especial chamada ‚Äúbanco semi sentado‚ÄĚ pode oferece um encosto para aliviar as pernas e os p√©s e n√£o sobrecarregar a postura. Encoste ali alguns minutos sempre que puder para ajudar.

5. Coma melhor j√° que uma alimenta√ß√£o equilibrada e saud√°vel tamb√©m √© importante para o funcionamento do corpo humano. Beba bastante √°gua, coma mais alimentos in natura, alimentos com fibras ( como cereais, am√™ndoas com casca, amendoins, favas e vagem).

  Erica Le√£o, professora, 31 anos, relembra dias em que a rotina em p√© era mais intensa. ‚ÄúEu dava aula em dois turnos e foi nessa √©poca que comecei a ter muita dor na sola do p√© e na regi√£o lombar das costas‚ÄĚ, lembra. Ela diz que se vai ficar muito tempo em p√©, tenta usar um t√™nis ou um sapato mais confort√°vel. ‚Äú Tamb√©m fa√ßo um esfor√ßo para corrigir minha postura que j√° n√£o √© muito boa. Quando posso, eu sento: na hora de fazer chamada, por exemplo, mas √© muito dif√≠cil. Eu tento sempre alternar a posi√ß√£o j√° que eu dou aula no final do dia e meu corpo naturalmente est√° mais cansado‚ÄĚ, destaca Erica.

  Para finalizar , uma boa not√≠cia para os profissionais que ficam muito tempo em uma postura durante o tempo de trabalho: a Norma Regulat√≥ria NR 17 (Ergonomia),  do Minist√©rio do Trabalho e Emprego (MTE),  estabelece par√Ęmetros que permite a adapta√ß√£o das condi√ß√Ķes de trabalho √†s caracter√≠sticas psicofisiol√≥gicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um  m√°ximo de conforto, seguran√ßa  e desempenho eficiente. Acesse e divulgue:


Texto por Gabi Kopko, retirado do  Blog da Sa√ļde.